banner-sub

Sessões Especiais - Resumos

Consumer Price Indexes
Viviana B. Lencina   
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

This conference describes some relevant aspects of the methodology used for the calculation of consumer price indexes (CPI). It highlights the existence of international organizations working in the generation of guidelines for the construction of this kind of indicators and promoting its relevance in the reading of economic performance and the formulation of economic policies. Particularly, some characteristics of the methodologies used in the construction of the CPI in Argentina, Chile, Uruguay, United States and Spain are described, highlighting their similarities and differences, as well as, the uses that these countries attributed to their indexes of prices. This conference finalizes analyzing some special aspects of Gran Buenos Aires CPI.

 

Consumer Price Indexes, Implicit Price Deflactors and Inflation: Cases for Argentina and Brazil
Juan Mario JORRAT
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

The annual change in the CPI is one of the measures used to measure the inflation rate, but it is not the only one. An alternative measure is to consider variations in the Implicit Price Deflator of Private Consumption (IPDPCON), an index compiled in the national accounts system and corresponding to the prices of that component of the Gross Domestic Product (GDP). The IPDPCON is generated as the ratio between current private consumption expenditure (sum of currents quantities expressed in current prices) divided by a private consumption volume index (sum of current quantities expressed in base year prices). Since current quantities are included in both, numerator and denominator, the changes can be accounted for differences between the current and base year prices.
Unfortunately both measurements, CPI and IPDPCON are not equivalent because:
1.The coverage of both indices are not the same. The CPI basket is defined according the consumption of a household sample from the reference population (GBA in Argentina), while private consumption includes all goods and services consumed by all households in Argentina.
2.The usual formula for the CPI keeps the base year quantities fixed (Laspeyres Price Index) while IPDPCON used the quantities of each considered period (Laspeyres Price Index).
The theoretical relationship between CPI and IPDPCON indices is not defined: some CPI prices are used to assess consumption as indexers (multiplying), others are used as deflators of nominal magnitudes (dividing), etc.
Despite the differences mentioned above, it is interesting to study the empirical relationships observed in some countries: Brazil and Argentina since both series are generated by government institutions.
This analysis provides information on the behavior of both price indices over time, and for both countries. It tries to estimate the existence of a common underlying trend (inflation) and also to detect changes in their relationship because of strong disruptions to the economy as the crisis of 2002 in Argentina.
The relationship between time series with a trend (stochastic or deterministic) is common practice in Econometrics. The technique is called "cointegration", and pretends to estimate long run equilibrium relations among the variables involved. For a group of variables to be are cointegrated, they must have the same number of unit roots and also the residual of the regression between them must be stationary (or white noise): no unit root present or temporal autocorrelation of any order.
If a regression is estimated for variables having a unit root, the residuals are not white noise and a spurious regression is obtained. In this case, the determination coefficient (R2) is high, the t-statistics are statistically significant but all of them are meaningless.

 


Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: Estimação de indicadores de trabalho e rendimento. 
Giuseppe Antonacci
e-mail:O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O IBGE está implantando um novo sistema de pesquisas domiciliares por amostragem, o SIPD – Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares, no qual um dos aspectos de integração corresponde ao uso de uma mesma infraestrutura amostral, mesmo cadastro de seleção e uma amostra comum.
Umas das principais pesquisas do sistema é a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), que produzirá informações básicas para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do país e permitirá a investigação contínua de indicadores sobre trabalho e rendimento. Com os dados da pesquisa serão produzidos resultados trimestralmente para o tema trabalho e rendimento e anualmente para os demais temas sociodemográficos.
Este trabalho apresenta o plano amostral da PNAD Contínua e também como são calculados os fatores de expansão associados a cada unidade selecionada para a amostra, referentes à estimação dos diversos indicadores trimestrais e anuais.

 

Métodos de pesquisas para populações de difícil acesso
Ronaldo Iachan, PhD
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Há diversos motivos para considerar certas populações como de difícil acesso: elas podem ser relativamente raras, apresentar obstáculos logísticos para a coleta, por questões de estigma na sua identificação, ou mesmo por várias combinações destes aspectos. Sob o ponto de vista estatístico, não há um marco de amostragem natural para certas populações. Por exemplo, desabrigados não estariam incluídos em pesquisas de domicílios por definição. Nesta palestra, discutimos também vários tipos de populações de pessoas com risco de infecção pelo HIV e de pacientes com HIV. Introduzimos técnicas de pesquisa motivadas por estudos com populações de risco de consumir drogas e de homens que fazem sexo com homens (HSH).
Esta palestra distingue duas classes de métodos  de amostragem para pesquisar estas populações. A primeira classe inclui amostras baseadas nos locais onde estas populações tendem a se concentrar ou costumam frequentar. Estes métodos podem ser considerados amostras de local-período, pois envolvem amostras de pares de locais associados com períodos quando estes são frequentados pela população de interesse. Uma variante deste método considera amostras em tempo real, mais apropriada para pesquisas com pacientes ou usuários de uma rede mais finita de locais.
A segunda classe de métodos é motivada pelas conexões que existem entre os membros de várias destas populações. Estes métodos incluem amostragem das redes de conexões e técnicas que se originam com os participantes (‘respondent driven sampling’).

 


Amostragem de populações de difícil acesso
Mauricio Teixeira Leite de Vasconcellos
 e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O termo população de difícil acesso pode ser interpretado de diferentes formas, seja por ser uma população rara (patologias raras na população), seja por relacionar-se a um comportamento ilícito (usuários de drogas), seja ainda pelo desejo de manter-se camuflada (homens que fazem sexo com homens). De acordo com seu caráter, distintas estratégias de amostragem podem ser empregadas para obter informações sobre elas.
Historicamente, a varredura proposta por Kalton & Anderson (1986), para construção de um cadastro e o emprego de técnicas tradicionais de amostragem, tem sido rejeitada por seus custos elevados e muito superiores aos de entrevista (Sudman, Sirken e Cowan, 1988). 
Assim, estratégias baseadas em conglomerados geográficos, no uso de listas incompletas, em cadastros duplos, em amostragem por rede, em amostragem de tempo e espaço, ou de amostragem adaptativa, dentre outros, têm sido experimentados e discutidos.
Apesar da vasta literatura no assunto, não há consenso sobre um desenho de amostragem que possa ser considerado como padrão ouro em amostragem probabilística para populações de difícil acesso.  Esse fato decorre de que todo método de amostragem, mesmo no caso de desenhos tradicionais de amostragem, é totalmente dependente do cadastro de seleção, para o qual toda a inferência é dirigida, e as populações de difícil acesso não têm cadastro confiável.
Pretende-se discutir algumas técnicas que têm sido mais amplamente utilizadas e mostrar que, dependendo da capacidade de gerar cadastros, umas podem ser melhores do que outras para casos específicos.

Referências
Birnbaum, Z. W. e Sirken, M. G., Design of sample survey to estimate the prevalence of rare diseases: Three unbiased estimates. Vital Health Statistics [Series 2], 11, 120. Washington, Government Printing Office, 1965.
Kalton, G. and Anderson D. W., Sampling rare populations, Journal of the Royal Statistical Society [Series A], 149, Part I, 65-82, 1986.

 


Amostrando Populações de Difícil Acesso: A Pesquisa com Motoristas que Frequentaram Bares de Porto Alegre - RS
Pedro Luis do Nascimento Silva
Mauricio Teixeira Leite de Vasconcellos
 Raquel de Boni
Francisco Inácio Bastos
e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Muitos estudos estatísticos requerem coletar dados de populações de difícil acesso’. O acesso pode ser difícil por muitos motivos: populações raras ou estigmatizadas, populações móveis ou residentes em zonas de conflito, etc. A obtenção de amostras probabilísticas destas populações é problema desafiador. Nesta apresentação descreverei um estudo sobre população de motoristas que frequentaram estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas em Porto Alegre, RS. A pesquisa empregou uma combinação de métodos tradicionais (amostragem conglomerada) e especiais (amostragem de tempo x local, amostragem inversa) para obter amostra probabilística da população de interesse.

 

Amostras não probabilísticas: é possível?
José Carvalho
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. 

Há um grande número de levantamentos por amostragem que são feitos por esquemas nos quais a probabilidades de seleção das unidades de amostragem são desconhecidas. Exemplos incluem a amostragem por quotas, já discutidas por nós neste e noutros fóruns. Há casos de amostras deliberadamente intencionais – elementos são selecionados de acordo com a vontade do pesquisador. O argumento que mais se emprega, em todos esses casos, é a representatividade da amostra.
Sem dúvida, a amostragem probabilística elimina toda uma série de problemas de validade dos resultados, que são, a fortiori, garantidos materialmente pela aleatorização. Já as amostras não probabilísticas carecem de substantividade quanto à validade. É curioso que, na prática de amostras não probabilísticas, os resultados sejam apresentados com intervalos de confiança (margens de erro), em geral obtidos de expressões válidas para esquemas de amostragem aleatória – em geral das mais simples possíveis.
Há, no entanto, situações em que amostras probabilísticas são impossíveis ou inconvenientes e algum outro tipo de amostragem pode ser empregado. Cabe ao pesquisador saber exatamente o que está sendo feito e a imposição explícita de modelos; são esses modelos a base da inferência e, portanto, eles devem ser do conhecimento do consumidor do resultado.


 
A  Aplicação de Amostragem não Probabilística em Pesquisas do IBOPE Inteligência
Bruna  Suzzara
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 A utilização de amostras não probabilísticas nos estudos realizados pelo IBOPE Inteligência propicia a entrega de resultados consistentes aos clientes, sobre diversos temas, em curtos períodos de tempo.  A rapidez para realizar uma pesquisa é importante principalmente quando deseja-se estudar ambientes voláteis, como por exemplo, opinião das pessoas relacionadas a algum tema específico ou que esteja sendo amplamente discutido e repercutido pela Mídia. Nesses casos, a variável tempo é muito importante e inviabiliza a utilização de amostras probabilísticas no estudo.
 As amostras não probabilísticas também possibilitam monitorar tendências ao longo do tempo, obtendo resultados semanais ou até mesmo diários.
 Serão apresentadas algumas técnicas aplicadas pelo IBOPE Inteligência, com o objetivo de realizar amostras não probabilísticas que garantam um bom espalhamento geográfico e cobertura de toda a heterogeneidade existente na população, possibilitando a obtenção de  resultados que retratem bem a realidade do público-alvo, em um momento específico.

 

Amostras não-probabilísticas?
Cristiano  Ferraz
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Nesta palestra, discutiremos a respeito de amostras não-probabilísticas no sentido mais  amplo da palavra. Revisaremos os conceitos de estudos experimentais e observacionais, e  os modos de inferência (baseado em aleatorização, baseado em modelos, e assistido por  modelos), para identificar propriamente o que é uma amostra não-aleatória e que papel, se é que algum, ela teria em diversas aplicações.

 

Contribuições importantes da   monitoração contínua no Sistema de Educação Básica
Sebastião de Amorim
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
       

Com 200 milhões de habitantes, 8,5 milhões de km2 de extensão territorial e o sexto maior PIB do planeta, o Brasil é um país gigantesco. Contudo, seus cerca de 35 milhões de crianças e jovens cursando o ensino fundamental vem sendo submetidos, há décadas, a um Sistema de Educação Básica disfuncional que seriamente compromete o futuro delas e, consequentemente, o da Nação. Aqui discutiremos algumas ideias em metrolologia contínua daquele Sistema que, implantado na Rede pelo Ministério da Educação, contribuiria na condução da tão necessária revolução de nosso Sistema Nacional de Ensino Básico.

 

Amostragem com abordagem pelo  telefone: questões práticas da aplicação do método
Alexandre A. Garcia
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O objetivo desta apresentação é provocar a reflexão da audiência a respeito das dificuldades práticas observadas na realização de pesquisas por amostragem com abordagem telefônica, ilustradas por situações reais observadas no mercado. Serão abordados aspectos relacionados à/ao: elaboração do briefing, preparação dos insumos para o desenho amostral, definição da unidade amostral, composição do cadastro, expansão da amostra, ponderação, erros amostrais e não amostrais, entre outros aspectos relevantes na contratação de pesquisas de mercado.

 

Pesquisas Online: panorama atual – o que se pode e como fazer
Bruno  Paro
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. 

Dados sobre o mercado de pesquisa online
Guia Prático
Amostras e Cotas
Controle de qualidade
Aproveitando as possibilidades da internet

 

Implementing a Strategy to Compensate for Missing Data in the Longitudinal Study of Young People in England
Peter W F Smith
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

The Longitudinal Study of Young People in England (LSYPE) began in 2004 with a sample of 15,500 young people aged between 13 and 14. The sampled young people were then surveyed annually until 2010. For the first four waves of LSYPE, the main and second parents or guardians of the respondents were also interviewed. As in any longitudinal survey, there was non-response at the first wave and further non-response at the second and subsequent waves. In addition, partial non-response occurred at each wave when data were not collected for one or more components (e.g., young person’s or main parent’s interview). Also, item non-response occurred when acceptable responses were not obtained for one or more of the items in an interview that was otherwise complete. Weighting adjustments and imputation are two general purpose compensation procedures for handling missing survey data. These procedures reduce bias from non-response and enable more powerful analysis of the data. After summarising the survey design and the non-response patterns in waves 1 to 4 of LSYPE, the methods implemented to produce 10 cross-sectional and 6 longitudinal weights, and to impute three main variables of interest (Parental Qualification, Socio Economic Class and Household Income) for wave 1 to will be discussed.

 

O planejamento de uma amostra de alunos  e os problemas de ponderação 
Ruben Klein
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Discutir aspectos que precisam ser considerados no planejamento de uma amostra de alunos e problemas que aparecem na ponderação dos alunos. Exemplos do Saeb e Pisa. Aspectos de tratamento dos questionários.

 

Fatos Marcantes da Agricultura Brasileira
Eliseu Roberto de Andrade Alves
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Apresentam-se os fatos marcantes da agricultura brasileira no período 1970-2012. Conclui-se que a tecnologia impulsionou o agronegócio, sendo a principal responsável pelo sucesso do setor. A agricultura teve forte impacto no abastecimento do mercado doméstico e nas exportações. Pagou grande parte da dívida externa brasileira e foi responsável pela queda dos preços da cesta básica, que beneficiou todos os consumidores, especialmente os mais pobres. A partir de 2000, estes preços começaram a subir. Há sinais de perda de ímpeto na redução de preços da cesta básica e de estabilização. A  palestra analisa também aspectos de transferência de renda, pobreza rural e nas cidades e migração rural. Quanto ao futuro imediato, observa-se que o crescimento continuado da oferta agrícola vai depender de políticas eficientes que permitam a estabilização dos preços de fertilizantes.

 


Um Modelo de Produção para a Agricultura Brasileira e a Importância da Pesquisa da Embrapa
Geraldo da Silva e Souza
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Ajusta-se um modelo de fronteira estocástica para a agricultura brasileira com base em uma amostra representativa dos dados primários do censo agropecuário de 2006. O modelo é especificado com a combinação de erros normal-meia normal para as componentes aleatória e de ineficiência. A função de produção do modelo está definida na família Cobb-Douglas e engloba os insumos terra, trabalho e insumos tecnológicos. Para o censo agropecuário de 2006, a elasticidade dos insumos tecnológicos é dominante. Postula-se a presença de efeitos técnicos nas componentes de erro. Esses incluem diversas classes de renda, regiões, assistência técnica e a percepção sobre a importância da pesquisa da Embrapa na melhoria da renda dos produtores rurais. A presença de assistência técnica e as variáveis não categóricas, como a importância da Embrapa e a probabilidade de renda líquida positiva, influenciam positivamente a componente de eficiência técnica. Esses resultados persistem com a inclusão de observações representativas do censo agropecuário de 1995/96.

 

Inventário Florestal Nacional: Um instrumento para avaliação estratégica dos recursos florestais do Brasil
Joberto Veloso de Freitas
e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O objetivo principal do Inventário Florestal Nacional (IFN) é produzir informações sobre os recursos florestais do país, de florestas naturais e plantadas, a cada cinco anos, para apoiar a formulação de políticas públicas visando ao seu uso e conservação. O IFN é baseado em um sistema de amostragem com a distribuição sistemática de unidades de amostra, sobre uma grade de pontos amostrais de 20 km x 20 km, em todo território nacional. Em cada ponto da grade será instalado uma unidade amostral (conglomerado), que consiste de um conjunto de quatro subunidades de 20 x 100 m, a unidade de registro para dados de vegetação. A coleta de dados de campo inclui variáveis biofísicas e socioambientais. As informações a serem produzidas pelo IFN incluem a composição florística, saúde e vitalidade das florestas, estimativas de estoques de madeira, biomassa e carbono, estrutura da floresta, características do solo, fragmentação da floresta, árvores fora da floresta, e também a caracterização do uso e percepção da população rural sobre os recursos florestais ao seu redor. As informações socioambientais são tomadas por entrevista aplicada em domicílios próximos a cada ponto amostral. Os resultados servirão para apoiar a concepção das políticas regionais e nacionais, com base em dados atualizados e confiáveis, para identificar estratégias e oportunidades para o uso sustentável dos recursos florestais, manter a sociedade informada sobre os recursos florestais e também prover informações para agendas e convenções internacionais sobre florestas.

 

Robust Hierarchical Bayesian Analysis: small area estimation
Helio S. Migon
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Colaboradores: Fernando A. S. Moura   e Kelly Cristina M. Gonçalves

We deal with the presence of outliers in Small area hierarchical models applying a decision theory approach. This approach allows to penalize more severally large errors  on the extremes than the square error loss function. This is showed to be equivalent to assign priors of heavy tails to the last stage and/or intermediate stages of the hierarchy.  We consider the case of the t-distribution in details and develop an objective Bayesian analysis to the unknown degree of freedom.
The proposed models were applied to a real data set and a simulated one. The evaluation studies show that the proposed approach is considerably more ecient for small area  predictions than is the customarily employed one when outliers are presented.

 


Estimação  em pequenas áreas: aspectos de planejamento e avaliação
Pedro Luis do Nascimento Silva
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A demanda por estatísticas em níveis cada vez mais detalhados e com maior frequência tem exigido das agências produtoras de estatísticas um esforço para aproveitar melhor os dados provenientes das pesquisas amostrais que realizam. Os métodos para estimação em pequenas áreas têm sido empregados para produzir estimativas para domínios de interesse não contemplados no planejamento inicial dessas pesquisas. Discutirei a importância de considerar já no planejamento da amostra para que domínios se pretende produzir estimativas, e também dos estudos de avaliação das estimativas de pequenas áreas produzidas, pois nem sempre as demandas apresentadas podem ser atendidas com base apenas em informações já existentes. O equilíbrio entre demanda e oferta de qualidade é essencial para preservar a confiança nas estatísticas públicas.

 


Comparação de métodos para estimação de índices de pobreza em pequenas áreas
Giusseppe A Antonacci
e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Este estudo foi motivado pela publicação do Mapa de Pobreza e Desigualdade: Municípios Brasileiros do IBGE, na qual foi utilizado o método ELL, proposto pelo Banco Mundial, para realizar a estimação dos indicadores de pobreza para os municípios brasileiros (pequenas áreas). O principal objetivo deste estudo foi comparar o método ELL com os métodos Empirical Bayes e Hierarquical Bayes, ambos propostos por Jon Rao, e verificar as vantagens e desvantagens em utilizar cada um dos três métodos. Para a comparação foram feitos estudos de simulação e utilizados os dados do Censo Demográfico 2000 e da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios de 2001, ambos referentes ao estado de Minas Gerais.